Limpeza de fim-de-ano

21 de dezembro de 2009 - segunda-feira - 20:39h   •   Categoria(s): Cotidiano

No fundo, no fundo, coincidiu de ser na época de fim-de-ano, mas quem acompanhou meu twitter ontem viu que eu estava em pé-de-guerra com meu quarto.
Uma coisa boa desse meu quarto aqui é que ele é pequeno, então não tem muito espaço pra você lotar de tranqueira. Se eu compro um sapato novo, obrigatoriamente tenho que me desfazer de um velho.
Só que ontem eu só queria limpar uma prateleira, hehe, e a coisa tomou uma proporção gigantesca. Uma arrumação foi puxando a outra e de repente eu me vi reorganizando meu guarda-roupa inteiro!
Apesar de eu ainda não ter terminado (falta só guardar os sapatos), foi ótimo, porque joguei um monte de coisa que não usava faz tempo, criei espaço, separei o que tava tudo misturado.
Já escrevi uma vez sobre o fato de ser comum em famílias nipo-descendentes essa mania de querer guardar tudo porque “vai que um dia eu preciso”. Acho que consegui me desvincular desse péssimo hábito que, a meu ver, não traz benefício nenhum – seja espacialmente, psicologicamente, espiritualmente, sólido líquido gasoso vegetal e mineral.
O espacialmente e psicologicamente, acho que é autoexplicativo. Mas quanto ao “espiritualmente”, é porque acredito muito na energia das pessoas e coisas. Na minha opinião, a energia tem que fluir, sei lá, e não ficar estagnada. Objeto velho guardado carrega muita energia velha e parada. Não consigo explicar direito em palavras, mas sei que me sinto muito bem me desfazendo das coisas. E não é só jogar fora, no lixo, não. É doar pra quem vai fazer mais uso do objeto do que você. Um ursinho de pelúcia que já não significa mais nada para mim vai fazer uma criança muito mais feliz, certo?

Deixe um comentário