Sobre farol vermelho, SUV’s e picapes

23 de abril de 2010 - sexta-feira - 19:52h   •   Categoria(s): Cotidiano

E aí que hoje eu me joguei na frente de um carro Ecosport-like (ou chiquemente falando, uma SUV).

Estavam vermelhos para ambos: o farol para o carro, que estava na avenida, e o sinal de pedestre para mim, que estava na faixa desejando atravessar a mesma avenida.
Já fazia uns 2 segundos (calculei mal quando twittei) que o farol tinha fechado e eu vi o carro vindo, devagar. Dado que temos um troço chamado ‘farol amarelo’ que, apesar de muita gente não saber, significa “Atenção”, passar depois de DOIS SEGUNDOS que o farol tinha fechado simplesmente NÃO se caracteriza como subjetivamente perdoável. Significa, sim, ser filho da puta, típico daqueles que só sabem obter as coisas levando vantagem sobre os outros. Ah, e o fato de estar vindo devagar também tem cheiro de receio por estar deliberadamente cometendo uma infração.
Eu já estava atravessando a rua, e nem fudendo que eu ia deixar uma SUV passar na minha frente. Simplesmente continuei andando, me pus na frente do carro, e fiz ‘na-na-não’ com o dedo. A tia (tinha que ser mulher) abriu o vidro e eu berrei “Farol vermelho, moça!!” (por que eu não gritei “Farol vermelho, tia“?) E ela gritou de volta “Tá fechado pra você, não tá vendo?”.
Por causa do que a mulher falou, eu voltei pra casa confusa, me perguntando quem estava mais errado nessa história.
Tipo, eu não atravessei uma avenida com farol aberto para os carros! O farol tinha acabado de abrir para a travessa. E eu não estava fora da faixa!

Outra coisa que me deixou mega emputecida foi o fato de ser uma mulher em uma SUV!
Se tem 2 coisas que eu detesto no trânsito são mulheres de SUV e homens de picape. As mulheres são geralmente essas peruas que dirigem mal e são espaçosas. Os homens são aqueles cuja masculinidade se prova pelo tamanho da cabine ou da caçamba.
É muito claro o motivo pelo qual essas pessoas compram carros assim! É óbvio o efeito psicológico deles sobre o seu próprio motorista. Não é motor, não é tração, nem desempenho do veículo. E também não são pessoas que vão enfrentar estradas esburacadas, ou cheias de lama, ou carregar geladeira em dia de mudança!
Qualé o problema dessa gente? O que eles estão querendo provar comprando esses carrões? “Ai, é tão gostoso dirigir assim, do alto”… Por que essa necessidade de se sentir superior dentro de um carro? Foi zuado na escola durante a adolescência, é? Era sempre o último a ser escolhido pro time na aula de Educação Física? Tomava cuecão todos os dias? E então precisa desse tipo de compensação?

É lógico que eu estou generalizando, né! Tô falando da maioria. Não quero que nenhuma pessoa boa e íntegra se ofenda. Até porque existe uma coisa chamada carapuça, que cada um sabe quando vestir.

Por que a Ford não muda o nome do carro pra EGOsport?

Ps: Algumas pessoas podem achar que eu estou com inveja de gente que pode comprar carrões. Quem me conhece de verdade já sabe a resposta que eu daria.

12 comentários para “Sobre farol vermelho, SUV’s e picapes”

  1. maria inês disse:

    Isso tudo q acabei de escrever foi um comentário!!!!!!!!!

  2. maria inês disse:

    Difícil para mim que sou uma tia ou avó de escolaridade completíssima, do q mt me orgulho, entender seu discurso, de tt palavrão q contém. É, porém, uma fala atraente. Tb não me agradam esses carros imensos bloqueando as vias e estacionamentos de SP.
    Entretanto, pelo seu relato, houve, de sua parte um desafio em relação à máquina. Não deve esquecer a pequenez humana relativamente à máquina. Convenhamos q foi um desafio tolo. Não faça mais isso.

  3. pedro disse:

    tanto pela explicação, quanto pelo desenho, não da pra saber ao certo quem estava errada.. Vc ou a tia..

  4. Wa disse:

    Primeiro: Esses “carros” não freiam como os outros.
    Segundo: São altos e não permitem desvios de rota , facilmente.
    Agora os FDP dos desumanos usam a lei de Gersom, pois no transito é a um mundo sem lei, manda o maior e sai da frente o esperto.
    Boa sorte na sua caminhada…

  5. Larissa Popp disse:

    Olá, nem sei como cheguei no seu blog mas nem acreditei que exista pelo menos UMA pessoa que pensa o mesmo que eu. Isso porque o Ecosport é um carro pequeno se comparar com outros tipo Captiva, Santa Fé, Tuscon, Rav4 e outros “caminhões” que o povo usa em São Paulo pra demonstrar sua superioridade sobre os outros pobres mortais. Em certas ruas de São Paulo esses carros NÃO CABEM na faixa, sem falar nas vagas de estacionamentos – principalmente nos prédios. Juro que não entendo.. isso é carro de americano que é paranóico com segurança e que dirige em highways, em São Paulo com o trânsito todo, radares, ruas estreitas etc. chega a ser falta de respeito andar sozinho num carro desse tamanho. Uma amiga minha diz q carro grande não vem com seta e retrovisor, tamanha a quantidade de barbeiragens q eles fazem. Outro dia vi um especialista em segurança no trânsito falando na tv que o brasileiro tem uma cultura de achar que quem é rico ou tem algum tipo de poder (políticos, celebridades, etc) está imune às leis, de qualquer tipo. E é verdade.. quem tem grana pra comprar um SUV aqui no Brasil (um captiva custa no mínimo 100 mil reais) com certeza está cansado de mandar e desmandar nos funcionários, na babá, na empregada, etc. portanto não vai se submeter a um farol vermelho, a uma placa de proibido estacionar ou à necessidade de sinalizar qdo quiser mudar de faixa. Até porque se algum dia perder a carta de motorista, paga uma pequena fortuna pra um despachante trambiqueiro subornar alguém no detran e apagar todas as multas.
    Desculpe o comentário enorme, mas é que realmente eu acho um absurdo e todos os dias passo nervoso voltando pra casa porque trabalho no Itaim Bibi – maior concentração por Km2 de SUVs, picapes e gente com muito dinheiro e pouca educação.

  6. MaaT disse:

    Nao sei se o melhor foi a “EGO Sport” ou a sua representacao na imagem..hehe
    Bjin

  7. Thais disse:

    eie! bem, pelo menos não terminou em tragédia.olha, eu acho que ecosport nem pode ser chamado de suv, então ignoro as pessoas que tem esse carro, assim como eu ignoro garotinhos de strada até aqueles gordões espaçosos que dirigem hilux de cabine dupla 4×4. as pessoas são muito mal educadas mesmo. as vezes eu tinha vontade de ter uma pick up toda f*dida so pra sair batendo nesse povo ahahahahha
    beijos

  8. Gesiane disse:

    Ahhh… mas que bom que não aconteceu nada com vc!

    Tem gente no transito que parece mesmo que comprou a carteira, eu não sou a melhor motorista mas por isto mesmo tomo o dobro de cuidado pq sei que falta experiência em mim.

    Beijooo

  9. Vy disse:

    Bom, te disse, quer emputece-los, soque o carro. Emputece. Soque de tras. Pq esses idiotas não sabem dirigir direito e não vão dar ré tão rápido pra te atropelar;)

  10. K-Chan disse:

    Eu acho q o sinal vermelho é o MÍNIMO que um carro deve respeitar.
    E se tava vermelho pra ele, ele tava errado, pelo menos eu penso assim. Não importa sde tava vermelho pra vc tb…
    o pedestre sempre tem razão, tá no código de trânsito. [2]

    Enfim… Eu já risquei um meriva por qse me atropelar HASUAHSUAHS (Imagina a raiva que eu fiquei xD mas nao conte pra ngm xD)

  11. Raphael Motta disse:

    Eu fui zuado na adolescência, sempre fui o último a ser escolhido na Ed. Física… Poxa, eu mereço uma picape ou um EcoSport! Vou pedir pra Ford me dar de graça… hahaha :p.

    Brincadeiras a parte, o pedestre sempre tem razão, tá no código de trânsito.

  12. Fiquei frustrada ao ler esse fato la no twitter e agora mais detalhadamente e com direito Hina Lia ^^
    Farei exame psicotécnico em breve (semana que vem marcarei) e dado a minha atual situação (desde meus 18 anos era pra eu ja estar dirigindo mas não estou por um motivo banal que não vem a tona agora) fico pensando se serei boa motorista… Juntando com a minha futura indêpendencia na questão de dirigir tardiamente um carro” rs Não estou nem um pouco animada pra isso mas é necessário -no Nihon- apesar que carteira provisória não deve valer nada ¬¬” Enfim, isso me alertou para eu prestar atenção nos pedestres, ainda mais que minha vida inteira fui!

Deixe um comentário