Tag: ‘beleza’

Teorias quânticas da gravitação e esmaltes

4 de agosto de 2010 - quarta-feira - 21:20h   •   Categoria(s): Cotidiano, Lia

A energia requerida para perceber a natureza quântica da gravidade é enorme, e a física quântica nos diz quanto é enorme. Teoricamente, se conseguiss… NOSSA! Esse esmalte que eu passei realmente é lindo!”
Rsrsrs… Isso fui eu anteontem, com o livro que estou lendo atualmente. Mas isso SOU eu, transitando entre a minha eterna noia (livros) e a minha mais nova noia (esmaltes).

O livro chama-se Você Está Aqui, de Christopher Potter. Fala de assuntos ultra fucking-foda como Astronomia, Teoria da Relatividade, Física Quântica, Aceleradores de Partículas (quem leu Anjos e Demônios?), Teoria das Cordas (quem assiste The Big Bang Theory?), mas explicado de uma maneira não tão fucking-foda assim, pra pessoas que não são fucking-foda poderem entender. Dado que tem partes do livro que eu não entendo NADA, isso já é um bom aviso me dizendo que tô longe de ser fucking-foda. Mas não custa tentar. rs…
Ganhei o livro do meu gatito no Dia dos Namorados, só que não foi presente de Dia dos Namorados, rs.

O esmalte é um perolado shimmer (Amor 117 – Mohda) com uma camada de glitter (Criativa – Skin Color). As cores que eu uso continuam clarinhas, mas estou conseguindo ter coordenação para pintar com vernizes mais pigmentados, não tão transparentes como no comecinho.

Um dia eu escrevo melhor sobre esse meu jeito contraditório de ser… =)

Manifesto da Pancinha – por Lili

15 de junho de 2010 - terça-feira - 18:41h   •   Categoria(s): Shuffling, Textos

Editado em 01.Jul.2010.

Meninas de todo o Brasil, tenho um conselho valioso para dar aqui: se você acabou de conhecer um rapaz, ficou com ele algumas vezes e já está começando a imaginar o dia do seu casamento e o nome dos seus filhos, pare agora e me escute! Na próxima vez que encontrá-lo, tente (disfarçadamente) descobrir como é sua barriga. Se for musculosa, torneada, estilo “tanquinho”, fuja! Comece a correr agora e só pare quando estiver a uma distância segura. É fria, vai por mim.

Homem bom de verdade precisa, obrigatoriamente, ostentar uma barriguinha de chopp. Se não, não presta. Veja bem, não estou falando daqueles gordos suados, que sentam horas na frente da televisão com um balde de frango frito, e que, quando se abaixam, mostram um cofre peludo. Não! Estou me referindo àqueles que, por não colocarem a beleza física acima de tudo (como fazem os malditos metrossexuais), acabaram cultivando uma pancinha adorável. Esses, sim, são pra manter por perto. E eu digo por quê.

Você nunca verá um homem barrigudinho tirando a camisa dentro de uma boate e dançando como um idiota, em cima do balcão. Se fizer isso, é pra fazer graça pra turma – e provavelmente será engraçado, mesmo. Já os “tanquinhos” farão isso esperando que todas as mulheres do recinto caiam de amores – e eu tenho dó das que caem.

Quando sentam em um boteco, numa tarde de calor, adivinha o que os pançudos pedem pra beber? Cerveja! Ou Coca-cola, tudo bem também. Mas você nunca os verá pedindo suco ou coca-light. Ou, pior ainda, um copo com gelo, pra beber a mistura patética de vodka com “clight” que trouxe de casa. E você não será informada sobre quantas calorias tem no seu copo de cerveja, porque eles não sabem e nem se importam com essa informação.

E no quesito comida, os homens com barriguinha também não deixam a desejar. Você nunca irá ouvir um “ah, amor, ‘Quarteirão’ é gostoso, mas você podia provar uma ‘McSalad’ com água de coco”. Nunca! Esses homens entendem que, se eles não estão em forma perfeita o tempo todo, você também não precisa estar.

Mais uma vez, repito: não é pra chegar ao exagero total e mamar leite condensado na lata todo dia! Mas uma gordurinha aqui e ali não matará seu relacionamento. Se ele souber cozinhar, então, bingo! Encontrou a sorte grande, amiga.

Ele vai fazer pra você todas as delícias que sabe, e nunca torcerá o nariz quando você repetir o prato. Pelo contrário, ficará feliz.

Outra coisa fundamental: homens barrigudinhos são confortáveis! Experimente pegar a tábua de passar roupas e deitar em cima dela. Pois essa é a sensação de se deitar no peito de um musculoso besta. Terrível! Gostoso mesmo é se encaixar no ombro de um fofinho, isso que é conforto. E na hora de dormir de conchinha, então? Parece que a barriga se encaixa perfeitamente na nossa lombar, e fica sensacional.

Homens com barriga não são metidos, nem prepotentes, nem donos do mundo. Eles sabem conquistar as mulheres por maneiras que excedem a barreira do físico. E eles aprenderam a conversar, a ser bem humorados, a usar o olhar e o sorriso pra conquistar.

É por isso que eu digo que homens com barriguinha sabem fazer uma mulher feliz.

Bom, pelo menos o meu sabe.

Texto de: Lili (Carolina), ex-cunhada do Gravataí Merengue, escreveu durante 1 ano no blog dele.

Eu tinha postado esse texto sob o título “Homens com Barriga – por Carla Moura”. Mas como vocês podem ver nos comentários, o Gravataí Merengue me avisou que este texto é da ex-cunhada dele, e foi postado em Dez.2006, conforme este link.
Eu fico me perguntando o que leva uma pessoa a copiar na íntegra (tirando a última frase) o texto de uma outra pessoa e tomar a autoria pra si. Deve ser muita falta de auto estima!! Sinto pena, de verdade, pois é pura prova de ausência de capacidade.

Mas enfim, quem ainda não tinha apreciado o texto, tenham a oportunidade de fazê-lo com os créditos dessa vez atribuídos corretamente.

Amo brincos!

19 de maio de 2010 - quarta-feira - 21:42h   •   Categoria(s): Lia

Eu posso não ser fashion, não manjar nada de moda, não fazer as unhas, não usar nem corrente, nem pulseira nem anéis.
Mas eu não posso sair de casa sem brinco!!!!!

Tem gente que usa sempre o mesmo par de brincos, lindinho, confortável, toma banho com ele, dorme com ele e não troca com frequência.
Eu não… Pra mim, banho e brinco não combinam. Cama e brinco também não. Às vezes, casa e brinco podem não combinar, dado que tem ocasiões em que eu simplesmente quero arrancar os brincos da minha orelha assim que piso no meu quarto.
Mas não saio na rua de orelha pelada. Me dá neura, meu cérebro trava, me sinto a pessoa mais feia do mundo, haha! É como se estivesse faltando uma parte essencial do meu ser. rs…

Meu estilo de brinco são os que parecem mais pattyzinhas, delicados, mas não necessariamente discretos. Eu os classificaria como “urbanos“!
E detesto brinco com cara de artesanal, ou com pedras foscas coloridas, meio hippongos, com metal envelhecido. Nada que me lembre coisa rústica.

Aí outro dia eu dei uma passadinha rápida na Ladeira Porto Geral. Tinha ido uma vez só, antes, quando era criança, com a minha mãe. Não fiquei zanzando. Fui numa loja só, olhei o que me agradava e não pensei 2 vezes.
Taí o resultado…

SH-RD Protein Cream

14 de fevereiro de 2010 - domingo - 20:13h   •   Categoria(s): Recomendações... ou não!

No dia 20 de setembro de 2009, eu tinha postado sobre o creme SH-RD Protein Cream. Quando eu fui refazer este post para colocá-lo aqui, na “linha do tempo” correta, eu decidi que era melhor eu atualizar com coisas novas, e postar na data de hoje mesmo.
Eu tinha comprado este produto no salão, sem nunca ter ouvido falar dele. Fui bem na conversa da recepcionista mesmo, ela dizendo que era ultra bom, que isso, que aquilo, que adorava e que saiu na revista.
Dei uma lidinha na embalagem, paguei R$ 120,00 e fui pra casa na fé.
Pesquisando sobre ele na internet, o produto chegava a soar milagroso, de tantas promessas que ele dizia fazer: um leave-in que fecha as cutículas do cabelo criando um filme protetor contra qualquer tipo de dano, como vento, sol, cloro e agressões químicas e térmicas. Dizia promover brilho, beleza e maciez e ser indicado para pontas duplas e cabelos porosos.

Depois de quase 5 meses usando-o direto, todos os dias, eu posso afirmar que o produto é realmente muito bom!
A consistência pastosa dele, na primeira vez, me fez pensar que poderia deixar meu cabelo pesado e oleoso. Muito pelo contrário! Ele fica assentado, comportado, muito leve e solto. Justamente por ser pastoso, o produto rende que é uma beleza. Realmente você pega uma pequena quantidade com os dedos, esfrega na palma da mão e distribui no cabelo. A sensação que dá é que ele preenche mesmo a porosidade do fio, tirando aquele aspecto de fragilidade.
E com relação ao rendimento, a foto mostra o quanto eu “já” usei do produto. E olha que tem dia que eu exagero um pouco, passando mais nas pontas, pra elas não ficarem espigando.
Uma coisa engraçada, que eu só notei algum tempo depois, foi que a minha mão ficava cintilante depois que eu usava o creme. Quando fui tirar foto um pouco mais de perto, pra poder mostrar a consistência do produto, eu vi o porquê.