Tag: ‘comportamento’

Eu gosto de coisas demais

5 de dezembro de 2010 - domingo - 22:45h   •   Categoria(s): Cotidiano, Lia

Confuso o título, né? =D

Traduzindo… Eu me interesso por uma quantidade e variedade excessiva de coisas e não consigo dar conta de tudo.

Trabalhar, namorar, sair e encontrar os amigos não é nada diferente do que uma pessoa “normal” faz.
Mas dos “opcionais”, tem sempre alguma coisa que eu não faço direito por causa de outras.
20101205_001Tem vezes eu leio meus livros que nem uma tartaruga.
Tem vezes que eu fico quase 1 mês sem blogar (tipo agora? rs…).
Tem vezes que fico 1 semana sem ir na academia.
Eu comprei FFXIII em abril e até agora não progredi no jogo.
Eu tenho uma porrada de jogos de DS que até agora não vi como é.
Faz tempo que não leio algo sobre a cultura japonesa.
E estou há quase 2 semanas sem estudar nihongo.

Mas estou em dia com TBBT e geralmente é fácil me encontrar falando alguma besteira no Twitter, rsrsrs.

Papai Noel, que tal um dia de 42 horas de presente de Natal, hein?

Manifesto da Pancinha – por Lili

15 de junho de 2010 - terça-feira - 18:41h   •   Categoria(s): Shuffling, Textos

Editado em 01.Jul.2010.

Meninas de todo o Brasil, tenho um conselho valioso para dar aqui: se você acabou de conhecer um rapaz, ficou com ele algumas vezes e já está começando a imaginar o dia do seu casamento e o nome dos seus filhos, pare agora e me escute! Na próxima vez que encontrá-lo, tente (disfarçadamente) descobrir como é sua barriga. Se for musculosa, torneada, estilo “tanquinho”, fuja! Comece a correr agora e só pare quando estiver a uma distância segura. É fria, vai por mim.

Homem bom de verdade precisa, obrigatoriamente, ostentar uma barriguinha de chopp. Se não, não presta. Veja bem, não estou falando daqueles gordos suados, que sentam horas na frente da televisão com um balde de frango frito, e que, quando se abaixam, mostram um cofre peludo. Não! Estou me referindo àqueles que, por não colocarem a beleza física acima de tudo (como fazem os malditos metrossexuais), acabaram cultivando uma pancinha adorável. Esses, sim, são pra manter por perto. E eu digo por quê.

Você nunca verá um homem barrigudinho tirando a camisa dentro de uma boate e dançando como um idiota, em cima do balcão. Se fizer isso, é pra fazer graça pra turma – e provavelmente será engraçado, mesmo. Já os “tanquinhos” farão isso esperando que todas as mulheres do recinto caiam de amores – e eu tenho dó das que caem.

Quando sentam em um boteco, numa tarde de calor, adivinha o que os pançudos pedem pra beber? Cerveja! Ou Coca-cola, tudo bem também. Mas você nunca os verá pedindo suco ou coca-light. Ou, pior ainda, um copo com gelo, pra beber a mistura patética de vodka com “clight” que trouxe de casa. E você não será informada sobre quantas calorias tem no seu copo de cerveja, porque eles não sabem e nem se importam com essa informação.

E no quesito comida, os homens com barriguinha também não deixam a desejar. Você nunca irá ouvir um “ah, amor, ‘Quarteirão’ é gostoso, mas você podia provar uma ‘McSalad’ com água de coco”. Nunca! Esses homens entendem que, se eles não estão em forma perfeita o tempo todo, você também não precisa estar.

Mais uma vez, repito: não é pra chegar ao exagero total e mamar leite condensado na lata todo dia! Mas uma gordurinha aqui e ali não matará seu relacionamento. Se ele souber cozinhar, então, bingo! Encontrou a sorte grande, amiga.

Ele vai fazer pra você todas as delícias que sabe, e nunca torcerá o nariz quando você repetir o prato. Pelo contrário, ficará feliz.

Outra coisa fundamental: homens barrigudinhos são confortáveis! Experimente pegar a tábua de passar roupas e deitar em cima dela. Pois essa é a sensação de se deitar no peito de um musculoso besta. Terrível! Gostoso mesmo é se encaixar no ombro de um fofinho, isso que é conforto. E na hora de dormir de conchinha, então? Parece que a barriga se encaixa perfeitamente na nossa lombar, e fica sensacional.

Homens com barriga não são metidos, nem prepotentes, nem donos do mundo. Eles sabem conquistar as mulheres por maneiras que excedem a barreira do físico. E eles aprenderam a conversar, a ser bem humorados, a usar o olhar e o sorriso pra conquistar.

É por isso que eu digo que homens com barriguinha sabem fazer uma mulher feliz.

Bom, pelo menos o meu sabe.

Texto de: Lili (Carolina), ex-cunhada do Gravataí Merengue, escreveu durante 1 ano no blog dele.

Eu tinha postado esse texto sob o título “Homens com Barriga – por Carla Moura”. Mas como vocês podem ver nos comentários, o Gravataí Merengue me avisou que este texto é da ex-cunhada dele, e foi postado em Dez.2006, conforme este link.
Eu fico me perguntando o que leva uma pessoa a copiar na íntegra (tirando a última frase) o texto de uma outra pessoa e tomar a autoria pra si. Deve ser muita falta de auto estima!! Sinto pena, de verdade, pois é pura prova de ausência de capacidade.

Mas enfim, quem ainda não tinha apreciado o texto, tenham a oportunidade de fazê-lo com os créditos dessa vez atribuídos corretamente.

Sobre farol vermelho, SUV’s e picapes

23 de abril de 2010 - sexta-feira - 19:52h   •   Categoria(s): Cotidiano

E aí que hoje eu me joguei na frente de um carro Ecosport-like (ou chiquemente falando, uma SUV).

Estavam vermelhos para ambos: o farol para o carro, que estava na avenida, e o sinal de pedestre para mim, que estava na faixa desejando atravessar a mesma avenida.
Já fazia uns 2 segundos (calculei mal quando twittei) que o farol tinha fechado e eu vi o carro vindo, devagar. Dado que temos um troço chamado ‘farol amarelo’ que, apesar de muita gente não saber, significa “Atenção”, passar depois de DOIS SEGUNDOS que o farol tinha fechado simplesmente NÃO se caracteriza como subjetivamente perdoável. Significa, sim, ser filho da puta, típico daqueles que só sabem obter as coisas levando vantagem sobre os outros. Ah, e o fato de estar vindo devagar também tem cheiro de receio por estar deliberadamente cometendo uma infração.
Eu já estava atravessando a rua, e nem fudendo que eu ia deixar uma SUV passar na minha frente. Simplesmente continuei andando, me pus na frente do carro, e fiz ‘na-na-não’ com o dedo. A tia (tinha que ser mulher) abriu o vidro e eu berrei “Farol vermelho, moça!!” (por que eu não gritei “Farol vermelho, tia“?) E ela gritou de volta “Tá fechado pra você, não tá vendo?”.
Por causa do que a mulher falou, eu voltei pra casa confusa, me perguntando quem estava mais errado nessa história.
Tipo, eu não atravessei uma avenida com farol aberto para os carros! O farol tinha acabado de abrir para a travessa. E eu não estava fora da faixa!

Outra coisa que me deixou mega emputecida foi o fato de ser uma mulher em uma SUV!
Se tem 2 coisas que eu detesto no trânsito são mulheres de SUV e homens de picape. As mulheres são geralmente essas peruas que dirigem mal e são espaçosas. Os homens são aqueles cuja masculinidade se prova pelo tamanho da cabine ou da caçamba.
É muito claro o motivo pelo qual essas pessoas compram carros assim! É óbvio o efeito psicológico deles sobre o seu próprio motorista. Não é motor, não é tração, nem desempenho do veículo. E também não são pessoas que vão enfrentar estradas esburacadas, ou cheias de lama, ou carregar geladeira em dia de mudança!
Qualé o problema dessa gente? O que eles estão querendo provar comprando esses carrões? “Ai, é tão gostoso dirigir assim, do alto”… Por que essa necessidade de se sentir superior dentro de um carro? Foi zuado na escola durante a adolescência, é? Era sempre o último a ser escolhido pro time na aula de Educação Física? Tomava cuecão todos os dias? E então precisa desse tipo de compensação?

É lógico que eu estou generalizando, né! Tô falando da maioria. Não quero que nenhuma pessoa boa e íntegra se ofenda. Até porque existe uma coisa chamada carapuça, que cada um sabe quando vestir.

Por que a Ford não muda o nome do carro pra EGOsport?

Ps: Algumas pessoas podem achar que eu estou com inveja de gente que pode comprar carrões. Quem me conhece de verdade já sabe a resposta que eu daria.

A Evolução da Educação

22 de fevereiro de 2010 - segunda-feira - 22:23h   •   Categoria(s): Shuffling, Textos

Agora que o oba-oba vucu-vucu do Carnaval passou, acho que posso falar de coisa séria e tentar ser “lida”.
Esse texto eu recebi por email. Não sei quem é o autor. Caso saibam, peço por gentileza me avisar, para eu dar os créditos devidamente.

————————————–

A EVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO

Antigamente se ensinava e cobrava tabuada, caligrafia, redação, datilografia…
Havia aulas de Educação Física, Moral e Cívica, Práticas Agrícolas, Práticas Industriais e cantava-se o Hino Nacional, hasteando a Bandeira Nacional antes de iniciar as aulas..

Leiam relato de uma Professora de Matemática:

Semana passada, comprei um produto que custou R$ 15,80. Dei à balconista R$ 20,00 e peguei na minha bolsa 80 centavos, para evitar receber ainda mais moedas. A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina registradora, aparentemente sem saber o que fazer.
Tentei explicar que ela tinha que me dar R$ 5,00 de troco, mas ela não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la. Ficou com lágrimas nos olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem entender. Por que estou contando isso?
Porque me dei conta da evolução do ensino de matemática desde 1950, que foi assim:

1. Ensino de matemática em 1950:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda. Qual é o lucro?

2. Ensino de matemática em 1970:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é igual a 4/5 do preço de venda ou R$ 80,00. Qual é o lucro?

3. Ensino de matemática em 1980:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Qual é o lucro?

4. Ensino de matemática em 1990:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Escolha a resposta certa, que indica o lucro:
( )R$ 20,00
( )R$ 40,00
( )R$ 60,00
( )R$ 80,00
( )R$ 100,00

5. Ensino de matemática em 2000:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. O lucro é de R$ 20,00. Está certo?
( )SIM
( ) NÃO

6. Ensino de matemática em 2009:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Se você souber ler coloque um X no R$ 20,00.
( )R$ 20,00
( )R$ 40,00
( )R$ 60,00
( )R$ 80,00
( )R$ 100,00

7. Em 2010 vai ser assim:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é R$ 80,00. Se você souber ler coloque um X no R$ 20,00. (Se você é afrodescendente, especial, indígena ou de qualquer outra minoria social não
precisa responder)
( )R$ 20,00
( )R$ 40,00
( )R$ 60,00
( )R$ 80,00
( )R$ 100,00

E se um moleque resolve pichar a sala de aula e a professora faz com que ele pinte a sala novamente, os pais ficam enfurecidos pois a professora provocou traumas na criança.

Essa pergunta foi vencedora em um congresso sobre vida sustentável:
“Todo mundo ‘pensando’ em deixar um planeta melhor para nossos filhos… Quando é que ‘pensarão’ em deixar filhos melhores para o nosso planeta?”

Passe adiante!
Precisamos começar JÁ!

Uma criança que aprende o respeito e a honra dentro de casa e recebe o  exemplo vindo de seus pais, torna-se um adulto comprometido em todos os aspectos,  inclusive em respeitar o planeta onde vive…”