Tag: ‘cute’

Seaquarium – Punta Cana

25 de abril de 2010 - domingo - 14:33h   •   Categoria(s): Viagens

O segundo passeio que eu fiz chamava-se Seaquarium.
Não reparem na qualidade de algumas “fotos”. Elas foram printscreenzadas de um vídeo que foi gravado por um profissional durante todo o passeio.

A primeira atividade foi ver a apresentação do leão marinho Wally.
Dentre os diversos truques que ele fazia, tinha bater palmas, cantar, mostrar a força…
Sorrir, mostrar a língua pro treinador…
Dançar, e beijar a boca do treinardor.
Como a cada truque que ele fazia, ganhava um peixe de recompensa, o leão-marinho tinha um bafo, huehe, que eu vou te falar. Meu rosto ficou cheirando peixe mastigado, hoho. Mas essa cara aí de baixo não é de nojo não… É um sorriso malfeito mesmo.
Em seguida fomos para um barco, que nos levou até uma plataforma e ficou estacionado junto dela.

Dessa plataforma, fizemos uma espécie de mergulho com um capacete que alimentava oxigênio através de um tubo que vinha da superfície. O “traje” era só o capacete mesmo.
Antes de descermos pra água, deu um certo medinho mesmo. “E se o capacete subir? E se a água entrar? E se faltar oxigênio?”
Mas não tinha nada disso. O capacete pesava 30 kg fora da água e 8 kg dentro. Era apoiado no ombro e podíamos respirar normalmente, pelo nariz e tal.
Peixes passando na frente da câmera…
Era literalmente uma caminhada no fundo do mar. Tinha corrimão e tal, pra dar mais firmeza pra andar.
Na foto abaixo, é o fim da caminhada, subindo pela escada da plataforma.
Em seguida, coisas básicas tipo aprender a dançar merengue e bachata. A moça negra da frente era uma das guias que estava ensinando pra esse bando de estrangeiro do corpo duro, rs…
E paramos em uma piscina natural.
A água era transparentíssima, no nível da cintura. Debaixo do sol, com a música vindo do barco. Na foto abaixo, um outro guia, distribuindo rum.
Sim, era balada mesmo!! rs…

Dolphin Island – Punta Cana

19 de abril de 2010 - segunda-feira - 12:06h   •   Categoria(s): Viagens

Uma das dicas que eu daria pra quem for pra Punta Cana é: façam passeios. Ok, os passeios são caros – de 120 a 200 USD por pessoa – e acaba aumentando um pouco o valor da grana que você planejava gastar na viagem inteira, mas imagino que ficar 1 semana inteira lesando no hotel não deva valer a pena.
Eu fiz 3 passeios, e digo que valeram cada centavo pago!

O primeiro chamava-se Dolphin Island.
O busão que transporta os participantes do passeio nos levou até uma praia particular, de onde tomamos um lancha rápida até a estrutura onde ficam os golfinhos.
Catamarãs ao fundo, onde estava rolando balada sob o sol, dentro da água.
Uma rede (furada, rs) coqueiros, mar e um barco. Cena altamente clichê, mas que ela existia, existia!
Araras que ficavam soltas no local.
O trajeto de lancha rápida não era muito longo.
Esta foto abaixo mostra a estrutura do que eles chama de “Dolphin Island”, que não é exatamente uma ilha, mas plataformas com piscinas, onde ficam os golfinhos.
Um dos guias do passeio (que só aparece pela metade na foto) andou pela plataforma, literalmente falando oi para os golfinhos, e eles estavam respondendo, acompanhando o moço acenando com as nadadeiras.
Mas essa visita não era só pra ver os golfinhos de longe. Nós interagimos com eles!
Dentro da água, em uma plataforma submersa, nós éramos orientados pelos treinadores a fazer determinados gestos como bater palmas, imitar um maestro de orquestra,  que os golfinhos faziam truques, como nadar de pé jogando água em você ou cantar bem de frente pra você.
Também nadamos junto com eles, e éramos incentivados o tempo todo a fazer carinho conforme eles passavam perto.
A pele dos golfinhos parece de borracha, bem lisa!
E ganhei beijinho!

Na sequência, nadamos em outro “tanque”, onde havia tubarões e arraias.
Como estávamos com esse cinto salva-vidas, não dava pra mergulhar até o fundo. E acredito que fosse realmente proposital, uma vez que os tubarões e as arraias ficavam só no fundo, quietinhos.
Os guias nos disseram que estes tubarões eram vegetarianos (???), que só se alimentavam de algas e coisas microscópicas do mar.
Essa foto foi tirada de fora da água. Nós tínhamos uma câmera subaquática, daquelas de filme, tosquinhas, mas como não conseguimos acabar com todas 27 poses, não dá pra revelar ainda.

Essa foto abaixo é pra mostrar a paisagem típica, com píer e tudo, mas também mostra como o tempo muda lá de repente.
Acordar com chuva não quer dizer que você não deva passar protetor solar, pois o tempo VAI abrir.
E sair pra um passeio com aquele sol de manhã também não significa que você não vá tomar uma chuvinha na cabeça no meio do dia.

Chaveirinhos da Hello Kitty – Castelo de Ōsaka

31 de março de 2010 - quarta-feira - 09:39h   •   Categoria(s): Cultura japonesa

O Castelo de Ōsaka (大阪城 – Ōsaka-jō [ôossaka-jyôo]) é um dos castelos mais famosos do Japão. Encontra-se no distrito mais central da cidade de Ōsaka, no interior do Parque Público do Castelo de Ōsaka (大阪城公園, Ōsaka-jō kōen).
O castelo foi construído entre 1583 e 1598. Ao longo dos séculos de sua existência, foi tomado por clãs adversários (1615), parcialmente destruído por um incêndio causado por um raio (1665), queimado durante conflitos civis (1868) e danificado por bombardeios na II Guerra Mundial (1945), sendo dessa forma reconstruído diversas vezes.
Hoje, o Ōsaka-jō é uma reprodução do edifício original, com adição de elevadores para facilitar o acesso de pessoas com mobilidade reduzida. No seu interior há, na verdade, um museu, onde se conta a história da construção do castelo, da vida dos samurais relacionados a ele e das guerras entre clãs.
No topo do castelo é possível ter uma visão 360° dos arredores.

LG GT360

17 de março de 2010 - quarta-feira - 21:36h   •   Categoria(s): Recomendações... ou não!

Já faz quase 3 meses que eu comprei esse celulito e continuo apaixonada por ele!
Comprei numa situação de emergência, extrema necessidade (sei…), em que ia viajar pro interior pra passar o Ano Novo e ia ficar sem internet. =P
A princípio, seria pra usar pro Twitter e pro MSN, mas acabou que não tenho saco nem tempo de ficar no MSN fora de casa, e no Twitter eu entro de vez em quando.
Perfeito mesmo é na hora de escrever sms! Não preciso mais me submeter à palhaçada de ficar tic-tic-tic-tic apertando mil vezes a mesma tecla e ficar com noia de querer mandar mensagem curta por pura preguiça de tic-tic-tic-ticar. Outra que também não dependo mais de dicionário T9 nenhum. Dá pra escrever em inglês, nihongo, escrever errado, é uma beleza!
Fora que ele é rosa! Rooooosaaaa! Eu já tava ficando neurótica de ficar sem celular rosa por tanto tempo!
De tanto que eu gosto dele, não podia deixar de colocar umas fotinhos.
Enfeite de celular, em nihongo, é 携帯ストラップ (keitai strap, ou keitai sutorappu).
Teclado QWERTY essencial!
Detalhe do keitai strap que eu comprei em Kyoto, no Kinkakuji.
Pra quem acha excessivo ter um smart phone, taí uma boa pedida.

Chaveirinhos da Hello Kitty – Kinkakuji

28 de fevereiro de 2010 - domingo - 11:59h   •   Categoria(s): Cultura japonesa


Kinkakuji ou Kinkaku-ji (Templo do Pavilhão Dourado) situa-se na cidade de Kyōto, no Japão. Foi construído em 1397, no Período Muromachi, para servir de local de descanso para o shogun Ashikaga Yoshimitsu.Toda a torre, exceto o andar térreo, é coberto por folhas de ouro puro. No seu telhado, há uma fênix chinesa.O Kinkakuji é simplesmente um dos pontos obrigatórios pra quem vai passear no Japão.Eu fui na época da primavera (aliás, já já vai fazer 1 ano que eu e o Doug viajamos pra lá), mas o Kinkakuji fica especialmente bonito durante o inverno, com a neve cobrindo tudo, numa combinação do branco com dourado.