Tag: ‘livros’

Obrigada, 2010!

31 de dezembro de 2010 - sexta-feira - 13:38h   •   Categoria(s): Cotidiano

2010
Dentre as muitas coisas boas que aconteceram esse ano, 2010 foi o ano de ter sido abençoada com coisas que eu queria muito há algum tempo.
A ordem é aleatória, ok?
Bons amigos no Twitter
Tive contato e conversei com muita gente legal no Twitter! Posso dizer sim que fiz bons amigos lá! Alguns eu conheci pessoalmente, outros eu ainda estou pra conhecer. E dos amigos que eu já conhecia, pude ter contato mais constante! =)
Twitter é um troço que vicia? Sim, muito! Mas acho que temos mais ganhos do que prejuízos.
Arrumar cama
Através de uma aposta comigo mesma, envolvendo livros, consegui criar o hábito de arrumar a cama todos os dias. A aposta acabou faz um bom tempo, consegui comprar um livro, mas não deixei mais de arrumar a cama.
Recorde de leitura
Este ano consegui bater o recorde de quantidade de livros e número de páginas lidas. O recorde anterior tinha sido de 2005. Em 2010, eu li 28 livros que corresponderam a 6.734 páginas. Não sou um exemplo de velocidade ao ler. Além disso, durmo muito fácil durante a leitura, hehehe. Mas o que contribuiu foi o fato de eu ter lido livros muito rápidos, seja porque o tema é fácil ou porque o assunto faz você devorar as páginas.
Talvez ano que vem eu leia bem menos, pois queria ler com mais qualidade, saborear mais o livro e me pressionar menos. Mas eu continuo com o mesmo problema de sempre: toneladas de livros na fila. =)
Aprendi a pintar unhas
Bom, ainda tô longe de ser um exemplo de coordenação no esmalte, mas aprendi bem a tirar as cutículas sem sofrer uma sangria na manicure. Tô evoluindo bem aos poucos até porque não consigo pintar toda semana. Mas tá valendo! Pra quem não pintava nada antes…. rs.
Viagem a Punta Cana
Companhia divertida do meu querido e D-amigo Ken, lugar sensacional, “mutcha awa”, cores que eu duvidaria se eu não tivesse visto com esses olhos que a terra há de comer, nadar com golfinhos, interagir com gente de vários lugares do mundo… Impagável!
Promoção para Especialista
Já fazia algum tempo que eu queria muito esse cargo. “Ser Especialista” era algo que me soava muito foda, um título dado somente a pessoas fodas. Fazer parte “dessa gente” me dá uma sensação de que a minha dedicação, aliada aos meus valores no trabalho valeram a pena.
Namorado
Depois de muitos ex’s e casos que não deram certo, eu aprendi que o que eu queria era um namorado gente boa, tranquilo, que me aceitasse – retardada – como eu sou, que fosse carinhoso, maduro, engraçado (i.e. retardado também), trabalhador e, se possível, gatão.
Eu estava querendo muito? Eu também achava que sim, mas não perdi a fé, rsrs…
Pois é, eu o encontrei e estamos há quase 1 ano juntos!

aos visitantes
Aos meus queridos visitantes, obrigada por mais um ano! Obrigada pelas visitas, pelos comentários, pelos emails, pelo carinho!
Sem vocês esse blog simplesmente não é nada!
Do fundo do meu coração, obrigada de verdade! E desejo a vocês um 2011 MARAVILHOSO, cheio de muitos motivos pra vocês sorrirem!

texto que gosto muito e que sempre procuro por ele na internet todo fim de ano

Cortar o Tempo
“Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão. Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para diante, vai ser diferente.”
                                                                 Carlos Drummond de Andrade

Natal e presentes

28 de dezembro de 2010 - terça-feira - 22:40h   •   Categoria(s): Cotidiano

E então, eu fui passar o Natal com a família do meu namorado. Rs…

Meus pais estavam com planos de ir viajar e eu não estava nem um pouco a fim de ficar num hotel só eu e eles. Como eu ia acabar passando o Natal sozinha, o namorado convidou pra ir junto com ele pra praia e conhecer toda a família, hihihi…

Pô, lógico que eu tava um pouco apreensiva, afinal, além da mãe, tinham as 4 irmãs mais velhas, a sobrinha, os cunhados e o yorkshire!
Mas foi tudo tranquilo, hehe. Eles me receberam absurdamente bem, foram super acolhedores!
Eu acho que nunca participei de um Natal completamente ocidental… Não me refiro à parte do peru e do pernil, mas sim à troca de presentes, onde (pelo que entendi) cada um compra presentes pra quem quiser.

Como eu não conhecia ninguém, pra não cometer nenhuma gafe, acabei comprando presente só pro namorado, mas ganhei presente das cunhadas! =)

O namorado foi pelo caminho que eu sugeri, de comprar pra mim aquilo que eu NEEEEEEMMM gosto. Rs…
Eu queria ler “O Físico” talvez desde os 14~15 anos de idade. E nunca tive chance de comprar porque sempre vinham outros livros como prioridade.
Da cunhada Nº3 (pela ordem de nascimento) eu ganhei essa caixa muito fofa!
Adooooro caixas! Ainda vou decidir o que pôr dentro, rs.Da cunhada Nº2, ganhei essa pulseirinha bem delicada!
Detalhe de uma das florezinhas:

As 3 fotos abaixo vocês já deviam ter visto no Twitter…

Na estrada, na ida, estava um sol animador!A foto abaixo é do sábado, dia 25, ainda com receio de encarar a piscina por causa do sol de rachar. Aliás, a casa era animal, a piscina idem. Esse proprietário (a casa era alugada) caprichou na estrutura!
Pezão 43 do namorado puxando um ronco no colchão inflável…

Enfim, gostei de verdade de ter ido passar o Natal com a família do namorado! Curti bastante, peguei uma corzinha… adorei!
Obrigada, meu gatinho, por ter me convidado!! ^_^

E falando ainda em presentes… sabe aquele livrinho ultra fofo ¬¬ do Justin Bieber que eu tinha ganhado de Inimigo Ladrão? Pois é, troquei! Haha!

Comentando Livros #39

10 de outubro de 2010 - domingo - 15:30h   •   Categoria(s): Comentando Livros

Título: Freakonomics
Autores: Steven D. Levitt e Stephen J. Dubner
Ano: 2005
Descrição: Nesse fascinante best-seller (número 1 em todas as listas nos EUA), o economista Steven Levitt e o jornalista Stephen J. Dubner estudam a rotina e os enigmas da vida real – da trapaça à criminalidade, dos esportes à criação dos filhos – com conclusões que viram de cabeça para baixo o senso comum, geralmente usando dados aparentemente inofensivos e fazendo perguntas simples nunca feitas. Daí surge o novo campo de estudo apresentado neste livro: freakonomics. O que liga essas histórias é a crença de que o mundo moderno, aparentemente confuso, complicado e enganoso, não é impenetrável nem indecifrável. Na verdade, quando fazemos as perguntas certas, o mundo é ainda mais interessante do que supomos. É preciso, apenas, uma visão nova. Steven Levitt, por meio de um raciocínio incrivelmente inteligente e objetivo, mostra como é possível ver as coisas de maneira clara nessa barafunda. Os leitores vão tirar deste livro enigmas e histórias para entreter interlocutores em muitas e muitas festas, mas Freakonomics traz mais que isso: ele redefine a maneira como encaramos o mundo.
Escala-Lia:
Comentário: O que é mais perigoso, uma arma ou uma piscina? O que os professores de colégios americanos e os lutadores de sumô têm em comum, em relação a trapaças? Por que traficantes de drogas, tidos como tão ricos, continuam morando com as mães? O que a legalização do aborto nos Estados Unidos no começo dos anos 1970 tem a ver com a queda na criminalidade na década de 1990? Qual a importância real dos pais para o sucesso dos filhos? Como a escolha de um nome para o seu filho (nos EUA) pode determinar o seu destino?
Com estas perguntas, entre outras, e suas respostas, os autores me prendiam neste livro da mesma maneira que um bom suspense consegue fazer. Eu simplesmente tinha dificuldades de pausar a leitura!
Os temas e a maneira como o livro foi escrito (Levitt é o economista, mas Dubner é jornalista) inquietavam minha curiosidade como nenhum outro livro de Economia jamais o fez. E pra quem não gosta ou não tem o mínimo interesse em Economia – na forma “acadêmica” como a conhecemos -, o subtítulo é ótimo: “O lado oculto e inesperado de tudo que nos afeta”.

Quarto arrumado x compra de livros

2 de outubro de 2010 - sábado - 11:57h   •   Categoria(s): Cotidiano

Que eu tenho problema com vício em comprar livros, não é novidade nenhuma.
Mas que eu chegava a ficar 6 meses sem arrumar a cama, acho que é meio chocante, não?

E toda vez que eu ia limpar meu quarto (tirar poeira, passar aspirador e talz), era aquele martírio, pois eu tinha que arrumá-lo antes… Coisa que é meio óbvia… ¬¬

Dado que eu #mimatei de comprar livros na Bienal, eu tinha prometido não comprar mais nada até o fim do ano. Mas sabe como é, minhas promessas relacionadas a livros já ficaram vazias mesmo, já não tenho honra nenhuma mesmo…
E aí apareceu a necessidade de eu arranjar um jeito de manter meu quarto arrumado.
Pronto!! A ideia que tive matava 2 coelhos com uma caixa d’água só!

Quem me segue no Twitter já sabe dessa autoaposta que me fiz comigo mesma myself and Irene.
A regra inicial era: se o quarto se mantiver arrumado por 30 dias seguidos, eu ganhava o direito de comprar um livro. Só que hoje eu percebi a necessidade de deixar as regras um pouco mais quantitativas, dificultando-as um pouco também.

REGRAS DO CONTRATO-MÃE:
1. Cada dia de quarto arrumado equivale a 5 páginas.
2. O direito de comprar um livro só será válido após 30 dias seguidos de quarto arrumado a partir do Dia Zero.
3. A partir do 30º dia, a contagem para o acúmulo de páginas passa a ser diária, onde eu posso continuar arrumando meu quarto até somar o número de páginas necessário para comprar o livro desejado.
4. O uso do direito de comprar um livro zera a contagem dos dias.
5. A falha na arrumação do quarto zera a contagem, mesmo após os 30 dias iniciais, inclusive caso eu não tenha feito uso do meu direito.

ANEXO TÉCNICO:
Por quarto arrumado entende-se:
- Nunca sair de casa sem o quarto estar com as coisas completamente no lugar.
- Objetos podem estar fora do lugar somente durante o tempo em que estiverem sendo usados.
- Sapatos têm o direito de virar a noite na porta do quarto, arejando, desde que eu os guarde após amanhecer.

GANHOS ESPERADOS:
- Diminuição na fila de livros, dado que eu leio mais que 150 páginas por mês.
- Disciplina na compra de livros, evitando situações de impulsividade.
- Eliminação da insatisfação de habitar um ambiente bagunçado.
- Menos gasto de tempo na limpeza do quarto.

…E as coisas têm estado assim há 21 dias!

Comentando Livros #38

22 de agosto de 2010 - domingo - 20:44h   •   Categoria(s): Comentando Livros

Título: O Mistério 2012 – Predições, Profecias e Possibilidades
Autor: Gregg Braden
Ano: 2009
Descrição: O que vai acontecer em 2012? 21 de dezembro de 2012. O calendário maia previu que nesse dia poderá ocorrer o fim da Terra, segundo alguns. De acordo com outros estudos, no entanto, essa data enigmática marcará a transição para uma nova era sociopolítica da humanidade, um passo à frente na nossa evolução. Estamos mesmo chegando ao final dos tempos ou ao encerramento de um ciclo cósmico? Haverá um despertar espiritual da raça humana ou uma transformação física do planeta? Será 2012 o ano do nascimento de um mundo novo ou do Apocalipse?
Escala-Lia:
Comentário: Um pouco depois de assistir o filme 2012, eu resolvi que queria saber, de modo decente, o que era realmente toda essa história de caledário maia, fim do mundo e etc. Fui na livraria, peguei uns 5 ou 6 livros que tinham o número “2012″ na capa e folheei para escolher um. Na verdade, este livro é composto de uma série de textos e ensaios, analisando ou explicando o assunto 2012 sob diversos aspectos, como Política, Misticismo, Economia, Astronomia… Alguns textos são bem interessantes, outros bastante viajantes (”Esse autor inalou todas antes de escrever isso!”), alguns enfadonhos e alguns bem nerds. Vale muito a pena para esclarecer de vez que não tem nada a ver com o filme – apesar da capa ser igual – e que a Terra não vai explodir no dia 21/12/2012.

386 páginas