Tag: ‘Mitologia’

Comentando Livros #38

22 de agosto de 2010 - domingo - 20:44h   •   Categoria(s): Comentando Livros

Título: O Mistério 2012 – Predições, Profecias e Possibilidades
Autor: Gregg Braden
Ano: 2009
Descrição: O que vai acontecer em 2012? 21 de dezembro de 2012. O calendário maia previu que nesse dia poderá ocorrer o fim da Terra, segundo alguns. De acordo com outros estudos, no entanto, essa data enigmática marcará a transição para uma nova era sociopolítica da humanidade, um passo à frente na nossa evolução. Estamos mesmo chegando ao final dos tempos ou ao encerramento de um ciclo cósmico? Haverá um despertar espiritual da raça humana ou uma transformação física do planeta? Será 2012 o ano do nascimento de um mundo novo ou do Apocalipse?
Escala-Lia:
Comentário: Um pouco depois de assistir o filme 2012, eu resolvi que queria saber, de modo decente, o que era realmente toda essa história de caledário maia, fim do mundo e etc. Fui na livraria, peguei uns 5 ou 6 livros que tinham o número “2012″ na capa e folheei para escolher um. Na verdade, este livro é composto de uma série de textos e ensaios, analisando ou explicando o assunto 2012 sob diversos aspectos, como Política, Misticismo, Economia, Astronomia… Alguns textos são bem interessantes, outros bastante viajantes (”Esse autor inalou todas antes de escrever isso!”), alguns enfadonhos e alguns bem nerds. Vale muito a pena para esclarecer de vez que não tem nada a ver com o filme – apesar da capa ser igual – e que a Terra não vai explodir no dia 21/12/2012.

386 páginas

Comentando Livros #30

18 de dezembro de 2008 - quinta-feira - 22:22h   •   Categoria(s): Comentando Livros

Título: As Melhores Histórias da Mitologia Nórdica
Autor: A.S. Franchini & Carmen Seganfredo
Ano: 2006
Descrição: Este livro reúne as principais lendas relativas à mitologia dos povos que habitaram, nos tempos pré-cristãos, os atuais países escandinavos (Noruega, Suécia e Dinamarca), além da gélida Islândia. Este conjunto de mitos também teve especial desenvolvimento na Alemanha, a grande divulgadora da cultura dos nórdicos. Com a expansão das navegações vikings, esta difusão alcançou os povos de língua inglesa e deixou sua marca na própria denominação dos dias da semana destes países (Thursday, por exemplo, é o ‘dia de Thor’, e Friday, ‘dia de Freya’).
Escala-Lia:
Comentário: Sendo que Tolkien baseou seu LOTR na Mitologia Nórdica, eu estava curiosíssima para saber que tipo de seres e histórias foram a inspiração para a criação de tudo que se passou na Terra Média. Os conceitos são basicamente idênticos, com dragões de barrigas incrustadas de pedras preciosas, anéis de ouro corrompendo seres fracos de espírito. Até a terra onde essas histórias aconteciam chamava-se Midgard! Perfeito para quem gosta de mitologias e de Tolkien.

Comentando Livros #29

30 de novembro de 2008 - domingo - 22:15h   •   Categoria(s): Comentando Livros

Título: Beowulf
Autor: A.S. Franchini & Carmen Seganfredo
Ano: 2007
Descrição: Um herói destemido o bastante para enfrentar três dos mais ferozes monstros criados pela imaginação humana em três duelos sucessivos e vertiginosos: eis o que o leitor encontrará nas páginas deste vibrante romance, adaptado do clássico poema medieval inglês Beowulf. Considerado por J. R. R. Tolkien, e pela maioria dos amantes da literatura heróica, como uma das mais perfeitas e empolgantes criações do gênero, a saga de Beowulf, praticamente desconhecida no Brasil, vem sofrendo nos últimos anos uma revitalização intensa, graças a traduções e adaptações de todo o gênero – inclusive cinematográfica, com duas versões recentes de grande sucesso.
Escala-Lia:
Comentário: O poema épico original foi escrito entre 700 e 750 d.C. Mais ou menos na mesma época que estava saindo o livro, o filme com a Angelina Jolie foi anunciado. Eu quis ler porque morria de curiosidade de saber sobre essa história tão importante da literatura inglesa. Sendo uma adaptação, muitos trechos do poema foram cortados, e os próprios autores fazem suas justificativas em relação a isso. A parte boa é que fica sendo uma história objetiva, perfeita para quem tem apenas a mesma curiosidade que eu tinha. A parte ruim é que passa a impressão de simplicidade excessiva, fazendo com que se perca a importância da obra original. Com relação ao filme, eu achei mais divertido do que o livro, já que alguns elementos da história foram modificados para dar mais “sabor” à trama.